quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Prometi...ajoelha... (continuação)




ET VOILÁ!!!...Encore moi, au Casino...

Nostalgia pura...

Bem, isto não me está a acontecer. Há pouco, encontrei um colega no café e comentei que, pelo menos há 25 anos que eu não trabalho no dia 31 de Dezembro. E chove e faz frio e não há gente nos transportes nem trânsito na rua...
Na sequência do meu post anterior...a nostalgia continuou.
Disse eu que, a primeira vez que fui passar férias com o meu pai, tinha sete anos. Aliás, fiz lá os sete anos. A minha madrasta fez-me uma festa muito bonita, convidou muitos meninos e meninas da minha idade...foi a minha primeira festa a sério.
Nos outros anos, era com o tio, a tia, o primo, um ou outro amigo da família. A partir do meu 5.º aniversário, também era com a GI e o irmão dela.
Quando fiz seis anos, estivémos os três e a minha tia. Cantaram-se os parabéns, apagaram-se as velas e fomos pela primeira vez ao cinema. Fomos a um dos cinemas do meu tio, o cinema Tivoli, em Luanda. Fomos vêr um filme de banda desenhada, O Ursinho Brincalhão. Lembras-te GI...???...E o teu irmão esteve o tempo todo ao colo da tia. Eu tinha 6, a GI 5 e o irmão dela 3...estávamos já mto crescidos...eheheheh...
Nesse ano, o meu tio teve que ir ao Lobito, que fica a 30 Kms de Benguela, onde nasci, por causa dos cinemas. Levaram-me com eles para aproveitarem e me levarem a Benguela, para eu conhecer a minha madrasta e os meus irmãos...estavam a preparar o terreno...foi nesse ano que o meu pai me enviou uma foto dos meus manos...um menino com 3 anos e uma menina com 1 ano. Já cá em Portugal, nasceu outro que eu chamo o Benjamim por ser 15 anos mais novo que eu...
Tenho lembrado, que quando eu estava nas minhas primeiras férias com o meu pai, os meus tios foram novamente ao Lobito e foram ver-me. Eu quiz logo ir com eles e dormi com eles num hotel no Lobito, junto ao mar...colocaram uma cama para mim na marquise da swit que tinha umas janelas em arco com ripinhas de madeira branca a fazerem quadradinhos...passei a noite a chamar os meus tios porque tinha medo do barulho do rebentar das ondas...de manhã, sem querer, chamei pai ao meu tio e disse: "- Desculpe tio, por eu lhe ter chamado pai. Agora tenho estado com o meu pai..." ele olhou para mim com o olhar mais ternurento do mundo, acariciou a minha face e disse: "- Não tens que pedir desculpa, gosto muito que me chames pai porque eu, sou teu pai...e podes continuar a chamar-me pai..." Fiquei tão VAIDOSA!!!...

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Música no coração

No meu post de 16 de Dezembro disse que, ficaria para outras núpcias a história de, como eu, em vez de vêr o filme, li os livros.
Pois bem. No fundo, só tem interesse para mim e para a GI mas, vou partilhar porque são coisas que a gente nunca esquece.
Como já devem ter percebido, eu fui criada por uns tios. Nasci em Benguela no dia 2 de Julho de 1961 e, poucas horas depois a minha mãe faleceu.
Uma irmã do meu pai, estava em Luanda e, ao fim de 9 meses de eu andar de Anás para Caifás, lá fiquei com os tios.
Aos sete anos de idade, pela primeira vez, fui passar uns dias das férias grandes com o meu pai. E assim passou a ser.
Em 1974, o meu pai estava em Malange e lá fui eu passar férias com ele. Devo dizer que, desta vez, não sei porquê, custou-me muito deixar os meus tios. O destino veio dar-me razão. Já não vi mais o meu tio que, para mim, foi mais que um pai. Gostava muito do meu pai, mas ADORAVA o meu tio.
Como disse no início, eu, no máximo, passava um mês das férias grandes com o meu pai. Desta vez, sem eu perceber muito bem porquê, o meu pai nunca mais me levava para Luanda. Comecei aos poucos a entender, pelas conversas que eu ouvia entre ele e a minha madrasta, que o meu tio estava doente. Que tinha vindo para Lisboa fazer exames, que o meu pai não me queria levar para Luanda porque "se acontece alguma coisa ao meu cunhado, como é que a minha irmã vai fazer...", já falavam em eu ficar para sempre com ele e tudo, em matricular-me numa escola ali...APANHEI O MAIOR SUSTO DA MINHA VIDA!!!...
Nestes entretantos, eu e a GI, escreviamos uma à outra a contar o nosso dia a dia. Foi nessa altura que, a Música no Coração passou em Luanda e a GI foi vêr. Então, escreveu-me a contar o filme todo, tim tim por tim tim. De tal forma que eu fiquei apaixonada pelo filme, pela Julie Andrews, pelo Cristopher Plummer, pela chavalada toda.
Se eu já estava a querer ir embora, mais depressa queria ir. Sabia que o meu tio estava em Luanda e a tia em Lisboa. Escrevi ao tio a dizer que me queria ir embora e que o meu pai não me queria levar.
Aí, o tio escreveu ao pai "dando as ordens" que entendeu e escreveu-me dizendo que, estava doente, (ainda tenho essa carta guardada), vinha para Lisboa fazer exames médicos, mas já tinha escrito ao meu pai para me levar, e tudo estava preparado em Luanda para mim e no Colégio para quando as aulas começassem.
Poucos dias depois, o meu pai levou-me para minha casa.
E pronto, lá passei o resto das férias com a GI a falarmos da música no coração. Nesse ano lectivo, pela primeira vez eu iria ter inglês. Portanto, eu não sabia falar inglês. No entanto, aprendi as músicas todas do filme, ainda hoje as sei de cor e salteado. O pai da GI tinha escrito as letras todas e a GI ensinou-me as letras e as músicas. Tenho um caderno de linhas, muito bonitinho, forrado com papel escocês, onde tenho todas as letras e no final de cada uma, os significados. Havia um mínimo, né? Senão eu não percebia o que estava a dizer. Lembro-me que para fixar a palavra "homeland", dizia "omolete"...O que nós ríamos...Já só com 14 anos, no cinema de Cascais, que já não existe, é que eu vi o filme. Fui com a GI e o irmão dela. Eu sabia o filme todo, eu sabia o que ía acontecer a seguir, eu sabia as músicas, parecia eu que tinha visto o filme...
Já que falei no meu querido tio, e que disse que nunca mais o vi, pois foi...depois dos exames em Lisboa, foi-lhe diagnosticado um câncro num dos pulmões. Foi para Londres onde foi operado, retiraram-lhe o pulmão, mas não resistiu...faleceu no dia 12 de Outubro de 1974. Quando eu me despedi dele em Luanda, para ir com o meu pai, ele perguntou-me: "- Céu, queres ir com o teu pai?" e eu, não sei porquê, não queria, mas não queria arranjar problemas, com lágrimas nos olhos, virei a cara para o lado e disse: "- A mim tanto me faz, tio." Ele deu-me dinheiro para as minhas férias, deu-me um beijinho, abraçou-me...depois foi a carta...e depois uma saudade que não há nada que mate...

sábado, 27 de dezembro de 2008

Deambulando...

Visitei há pouco o blog do Paulo Tomás Neves e, lembrei que ADORO esta música...esta, a que eu vou aqui a postar, aliás...adoro todo este CD de Enya.
Está frio, estou com uma grandessíssima constipação em cima, apetece mesmo é, fechar os olhos e viajar...sonhar...não pensar...sentir com o corpo e com o coração...imaginar...o quê, não digo...nem é preciso...
Only Time - Doce Novembro - For more of the funniest videos, click here
Não...não estou apaixonada...sou apenas romântica...e gosto..
Não esqueçam de fazer pausa na barriga do Teddy...Depois, não sei se irão gostar, sou suspeita, mas eu ADORO...aconselho ouvirem o resto...

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Prometi...ajoelha...



Jantar no Casino 20-12-2008

sábado, 20 de dezembro de 2008

Este fim de semana

AI!!!...Estou muito nervosa e ansiosa...Eu já não tenho idade...o certo é que estou...
Hoje tenho um jantar de Natal no Casino Estoril...
O que eu andei às voltas com o estupor da toilette...!!!...Depois...se houver foto, eu mostro...acho que, vou LINDA...mas, quem sou eu...é o meu primeiro jantar de Natal lá do trabalho e não quero fazer feio...bem pelo contrário...
E ainda, tenho cabeleireiro às 18:00, para cortar, pentear, maquilhar, fazer unhas (como diz o brasileiro)...AI!!!...
Devo dizer que, tenho estado de férias e, segunda recomeço no batente...para terminar em cheio, amanhã tenho dois baptizados...AI!!!...Isto é muita vida social para uma pessoa só...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ao desafio

A minha GI desafiou-me a vir aqui partilhar convosco os livros da minha infância. E cá estou eu...
Começo já por dizer que, não é plágio do post dela tudo o que aqui possa ser escrito e que seja comum ao que a GI escreveu.
O que é comum às duas é porque vivemos em conjunto, lemos em conjunto, comentavamos em conjunto, na casa dela ou na minha. Principalmente na dela, que era onde estava sediada a Biblioteca lá do sítio.
Portanto, começo com os livros da Anita que, conforme referi no meu comentário ao post da GI, não foi só ela que leu todos. Eu tive o grande privilégio de "morar na casa da GI"...que era pegadinha à minha...eu tive o privilégio de me sentar no parapeito da janela do meu quarto, que era colado com o da GI, e ela no dela, a conversarmos sobre o que estávamos a lêr ou o que tinhamos lido. Sentávamo-nos ali, como se estivessemos numa sala. Devo dizer que no meu caso era perigoso, já que os quartos eram no andar de cima da casa, eu não tinha qualquer protecção, ela tinha uma grade de ferro forjado branco à qual se encostava. Mas foram momentos deliciosos e inesquecíveis...
Principalmente nas férias grandes...os nossos dias eram passados a lêr.
O meu primeiro livro da Anita, foi precisamente Anita no Jardim, alguém me ofereceu de presente de aniversário. Não lembro se tive mais algum, mas o resto da colecção, foi lida em conjunto nas escadas de acesso ao primeiro andar de casa da GI.
Também li e tinha, porque me ofereceram, as 365 Histórias de Encantar.
Ao contrário da GI, os meus livros eram-me oferecidos por terceiros, em minha casa não havia propriamente o culto da leitura e a preocupação que existia por parte dos pais dela. Se bem que, quando eu queria, eu pedia ao meu tio e ele comprava. Mas a inciativa partia principalmente de mim.
Claro que, li Enid Blyton, a inesquecível colecção dos Cinco, a dos Sete, As Gémeas no Colégio, até porque, também estava interna num Colégio, os Desastres de Sofia.
Porque eu era muito Maria rapaz, a minha personagem de eleição nos Cinco era, obviamente, a Zé, nas Gémeas...todas quanto armassem confusão e depois a Sofia...e para quem me conhecesse desde pequenina, saberá bem porquê.
A colecção das 15 Aventuras, li-a de fio a pavio.
Havia uma particularidade em mim...eu gostava muito dos desenhos que ilustravam os livros...eu ficava encantada com a perfeição dos bonecos e suas expressões. Desenhei muitos. Abria o livro e, num papel ao lado, desenhava tal e qual o que estava no livro...em tamanho menor...ou maior...ADORAVA...
Marcaram-me muito todas as Histórias do Antigo Testamento que li numa edição ilustradíssima, para crianças, salvo erro da VERBO.
Em mim havia a particularidade de tudo o que era antigo me encantar...Antiguidade pré-clássica e clássica encantava-me.
Escusado será dizer que "devorei" os livros do Astérix, Alix, Princípe Valente.
Porque adorava Banda Desenhada, porque era maria rapaz, porque já naquela altura RIR era a minha profissão, li Michel Vaillant, Tintin, Spirou, Lucky Luck e o seu inseparável Jolly Jumper, Patinhas, Pato Donald, Mickey, Riquinho (o pobre menino rico), Gasparzinho o fantasminha camarada, Tom e Jerry, Super Homem, Batman, Homem Aranha, Mónica, Cebolinha, etc...etc...etc...LIA TUDO.
Em relação a estes últimos havia um senão, a minha tia não gostava que eu lesse porque eram escritos em português brasileiro e depois eu iria escrever com erros. Coisa que, felizmente eu já tinha capacidade para analisar e eu própria, detectava os erros e as diferenças.
Não tive o privilégio de começar a lêr aos quatro anos como a minha GI, mas tive o privilégio de, um dia, com 5 anos de idade, começar a lêr o jornal em voz alta para os meus tios.
Porque era maria rapaz, porque adorava cavalos, porque adorava História...tudo o que era Índios...marchava...havia uma colecção SIOUX, que eu adorava...As Aventuras de Rin Tin Tin...o que eu adorava...eu li Rin Tin Tin, sem sonhar que havia filmes sobre ele...na minha terra nem havia televisão...isso é que eu gostava daquele cão e do puto...
Li Oliver Twist, David Copperfield, Robinson Crusoe e o seu sexta-feira, A Tulipa Negra, Mulherzinhas.
Li a série da Brigitte, porque a GI tinha e fez o favor de me apresentar a mocita...que, diga-se de passagem, tive muito gosto em conhecer...
E li um livro, não foi um, foram dois...que, tirando a GI e eu, não conheço quem mais tenha lido...bem antes de vêr o filme que, correu em Luanda quando eu tinha 12 anos, li Música no Coração...li o Vol. I, que conta a história que todos nós conhecemos e li o Vol. II que conta a história da família Von Trapp após a sua fuga.
A história de como eu li estes dois livros...fica para outras núpcias...

sábado, 13 de dezembro de 2008

Em memória...



Eu acredito em Deus mas, confesso..não vou à missa...à minha mãe, que deu a vida por mim e, que não tive o privilégio de conhecer... de quem tenho muito orgulho, espero que ela tenha o mesmo orgulho em mim, que ache que valeu a pena, ao meu pai e ao meu querido tio que me criou, que sei que olham por mim...lá do Céu... dedico...Tears in Heaven...espero estar a corresponder às expectactivas deles...Cause I know..I don´t belong...yet...there in Heaven...Não se esqueçam de calar o Teddy, entrementes...clicando na barriguita dele...

Sou suspeita...

Quando fôr grande...QUERO TÊR UM MARTINHO DA VILA...vão passando de múcica em música...
é Samba...é música...é letra...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

BEEEEMMMMM!!!!!!!!!!!!!!!!

Vai um badanal lá fora...!!!...Anda tudo àvoari...estava a vêr que até eu e as cadelas íamos àvoando...só apetece é voltar pró choco...Chiça!!! Penico!!! Chapéu de Côco!!!...Assim sendo, lá vou...tem que ser...



domingo, 7 de dezembro de 2008

Esta tarde...

Morreu, António Alçada Baptista...
Para quem não leu "Os nós e os laços"...leiam, VALE A PENA...
Só lamento, ter vindo aqui dizer isto, após o seu falecimento...não sou, nem mais nem menos que tantos de nós...
O certo é que, a vida é mesmo assim, o que mais existe de certo na nossa vida...é a morte...antes disso...tudo é possível...
Eu e, a minha melhor amiga, tinhamos um poema que era assim:
À morte, ninguém escapa
Nem o velho, nem o rei, nem o papa
Mas, hei-de escapar eu...
Compro uma panela...
Meto-me dentro dela...
Tapo-a bem tapadinha...
E vem a morte e diz...
Hum...aqui n está ninguém...

Até vêr...né?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Relato de um homem que depilou os tintins

Estava eu a ver TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada para fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando a minha esposa se deitou ao meu lado e começou a brincar com minhas 'partes'.

Após alguns minutos ela teve a seguinte ideia: - Por que é que não me deixas depilar os teus 'ovinhos', pois assim eu poderia fazer 'outras coisas' com eles.

Aquela frase foi igual a um sino na minha cabeça. Por alguns segundos imaginei o que seriam 'outras coisas'. Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu a imaginar as 'outras coisas', não tive argumentos para negar e concordei.

Ela pediu-me que me pusesse nu enquanto ia buscar os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei a ver TV, porém a minha imaginação vagueava pelas novas sensações que sentiria e só despertei quando ouvi o beep do microondas.

Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei estranhos aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de 'dona da situação' que deixaria qualquer médico urologista sentir-se um principiante.

Fiquei tranquilo e autorizei o restante processo. Pediu-me para que eu ficasse numa posição de quase-frango-assado e libertasse o acesso à zona do tomatal.

Pegou nos meus ovinhos como quem pega em duas bolinhas de porcelana e começou a espalhar a cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa! O Sr. 'tolas' já estava todo 'pimpão' como quem diz: 'Sou o próximo da fila!'

Pelo início, imaginei quais seriam as 'outras coisas' que aí viriam. Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou-os no plástico com tanto cuidado que eu achei que ia levá-los de viagem. Tentei imaginar onde é que ela teria aprendido essa técnica de prazer: Na Tailândia, na China ou pela Internet?

Porém, alguns segundos depois ela esticou o 'saquinho' para um lado e deu um puxão repentino. Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro ' A PUUUUTA QUEEEE TE PARIUUUUUUU', quase gritado letra por letra.

Olhei para o plástico para ver se a pele do meu tin-tin não tinha vindo agarrada. Ela disse-me que ainda restavam alguns pelinhos, e que precisava repetir o processo. Respondi prontamente: Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!

Segurei o Sr. Esquerdo e o Sr. Direito nas minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazónica em extinção, e fui para a banheira. Sentia o coração bater nas 'pendurezas'.

Abri o chuveiro e foi a primeira vez na minha vida que molhei a salada antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos deixando a água gelada escorrer pelo meu corpo. Saí do banho, mas nestes momentos de dor qualquer homem se torna num bebezinho: faz merda atrás de merda. Peguei no meu gel pós barba com camomila 'que acalma a pele', besuntei as mãos e passei nos 'tomates'.

Foi como se tivesse passado molho de piri-piri. Sentei-me no bidé na posição de 'lavagem checa' e deixei a água acalmar os ditos. Peguei na toalha de rosto e abanei os 'ditos' como quem abana um pugilista após o 10° round.

Olhei para meu 'júnior', coitado, tão alegrezinho uns minutos atrás, e agora estava tão pequeno que mais parecia o irmão gémeo de meu umbigo.

Nesse momento a minha esposa bate à porta da casa de banho e perguntou-me se eu estava bem. Aquela voz antes tão aveludada e sedutora ficou igual a uma gralha. Saí da casa de banho e voltei para o quarto. Ela argumentava que os pentelhos tinham saído pelas raízes, que demorariam a voltar a crescer. Pela espessura da pele do meu tin-tin, aqui não vai nascer nem sequer uma penugem, disse-lhe.

Ela pediu-me para ver como estavam. Eu disse-lhe para olhar mas com meio metro de intervalo e sem tocar em nada, acrescentando que se lhe der para rir ainda vai levar PORRADA!!

Vesti a t-shirt e fui dormir, sem cuecas. Naquele momento sexo para mim nem para perpetuar a espécie humana.

No outro dia de manhã, arranjei-me para ir trabalhar. Os 'ovos' estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros. Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca d'antes soprados.

Tentei vestir as boxers, mas nada feito. Procurei algumas mais macias e nada. Vesti as calças mais largas que tenho e fui trabalhar sem nada por baixo.

Entrei na minha secção com uma andar igual ao de um cowboy cagado. Disse bom dia a todos, mas sem os olhar nos olhos, e passei o dia inteiro trabalhando de pé, com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície.

Resultado, certas coisas só devem ser feitas pelas mulheres. Não adianta nada tentar misturar os universos masculino e feminino.

Rita Lee

Já devem ter ouvido...até porque a música toca aqui...e a canção é cantada...e É LINDA...
Mas, atentem bem na letra...
AMOR E SEXO
(Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor)
Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

Pela madruga fora...

Vive-se tanto...que nem se dorme...AI EU...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Meu filme...

A VIDA É BELA

Pensamentos de madrugada

Quando a gente pensa que JÁ NÃO TEM IDADE...que já vivemos tudo...ou quase tudo...
Vem a vida...e mostra-nos que ainda temos muito que viver...
Quando pensamos que, há coisas para as quais "morremos"...vem a vida e mostra que ESTAMOS VIVOS...
E assim, vou vivendo e pensando que, apesar de tudo, VALE A PENA...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Saudade

Não sei o que te levou a tanto...a prima estava aqui...sei que há momentos na vida em que nos sentimos TÃO SÓS E ISOLADOS...que nos passam pela cabeça, as coisas mais desesperantes...sempre disseste que QUERIAS SER COMO EU...e eu dizia-te...ENTÃO É...há muito que vinha sentindo saudades tuas...agora...vão ser PARA SEMPRE...não queria estar na tua pele no dia em que decidiste que não querias mais estar no mundo dos vivos...que mais dizer...ao menos que agora...DESCANSES EM PAZ...é a minha sina...tanta gente que eu AMO que cuida de mim daí do CÉU...também vais cuidar...não vais...???...vais...QUE EU SEI...TE AMO MUITO...e tu sabias...ÉS UMA MENINA LINDA EM QUALQUER PARTE DO UNIVERSO...

Há pessoas a quem saíu a carta (de condução) na Farinha Amparo...

video
E Então...que tal..???...Condutor BÃO esse...

1.º de Dezembro

No seguimento do post da GI sobre a questão, imaginei o seguinte diálogo numa das habituais entrevistas de rua nestas alturas:

Jornalista: -Bom dia, sabe que hoje é feriado?
Entrevistado: -Bom dia, sei sim senhor....atão, não tive que ir trabalhar...fim de semana prolongado e tudo...
Jornalista: -Então e sabe-me dizer o que se comemora hoje?
Entrevistado: -Ora, deixe-me racionar...então...hoje é o dia da Restauração...deve ter algo a vêr com Restaurantes...hoje em dia, fala-se tanto nos cuidados que devemos de ter com a alimentação...e consequentemente, com a saúde...é alguma coisa relacionada com isso de certeza...
Jornalista:-...Bem, não é bem isso...não tem nada a vêr, já agora, se me permite, aproveito para o esclarecer...blá blá blá blá
Entrevistado: -rsssss...e eu lá ía adivinhar uma coisa dessas....eu até nunca gostei de História...tirando saber que D. Afonso Henriques foi o 1.º rei de Portugal e que o Martim Moniz morreu entalado na porta do Castelo de S. Jorge...e não percebo porque carga d'água...!!!???...Sim, porque ninguém morre entalado numa porta...!!!???...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O mundo sem as mulheres

O cara faz um esforço danado para ficar rico pra quê?
O sujeito quer ficar famoso pra quê?
O indivíduo malha, faz exercícios pra quê?
A verdade é que é a mulher o objetivo do homem.
Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função da mulher.
Vivem e pensam em mulher o dia inteiro, a vida inteira.
Se a mulher não existisse, o mundo não teria ido pra frente.
Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar outro homem, para conquistar sujeito igual a ele, de bigode e tudo.
Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.
Já dizia a velha frase que 'atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.
O dito está envelhecido. Hoje eu diria que 'na frente de todo
homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.
É você, mulher, quem impulsiona o mundo.
É você quem tem o poder, e não o homem
É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias.
Bendita a hora em que você saiu da cozinha (não que isso não seja importante, por que é) e, bem-sucedida, ficou na frente de todos os homens.
E, se você que está lendo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher.
Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua. Só homens.
Já pensou?
Um casamento sem noiva?
Um mundo sem sogras?
Enfim, um mundo sem metas.
ALGUNS MOTIVOS PELOS QUAIS OS HOMENS GOSTAM TANTO DE MULHERES:
1- O cheirinho delas é sempre gostoso, mesmo que seja só xampu.
2- O jeitinho que elas têm de sempre encontrar o lugarzinho certo em nosso ombro, nosso peito.
3- A facilidade com a qual cabem em nossos braços.
4- O jeito que tem de nos beijar e, de repente, fazer o mundo ficar
perfeito.
5- Como são encantadoras quando comem.
6- Elas levam horas para se vestir, mas no final vale a pena.
7- Porque estão sempre quentinhas, mesmo que esteja fazendo trinta graus abaixo de zero lá fora.
8- Como sempre ficam bonitas, mesmo de jeans com camiseta e
rabo-de-cavalo.
9- Aquele jeitinho sutil de pedir um elogio.
10- O modo que tem de sempre encontrar a nossa mão.
11- O brilho nos olhos quando sorriem.
12- O jeito que tem de dizer 'Não vamos brigar mais, não..'
13- A ternura com que nos beijam quando lhes fazemos uma delicadeza.
14- O modo de nos beijarem quando dizemos 'eu te amo'.
15- Pensando bem, só o modo de nos beijarem já basta.
16- O modo que têm de se atirar em nossos braços quando choram.
17- O fato de nos darem um tapa achando que vai doer.
18- O jeitinho de dizerem 'estou com saudades'.
19- As saudades que sentimos delas.
20- A maneira que suas lágrimas tem de nos fazer querer mudar o mundo para que mais nada lhes cause dor.

Pela minha parte...SEM COMENTÁRIOS e, com muitos ?????? e !!!!!!
Porque, se é assim...então, como já afirmei diversas vezes...existem umas coisas, que parecem homens por fora, que fingem que são homens por dentro... mas são outra coisa qualquer...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Reportagem no Diário de Notícias

Hoje é o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra Mulheres.

O DN de sábado, dia 22, publicou uma grande reportagem sobre o tema. O título é: "Marcadas para a vida..."

Eu li e arrepiei...acho que todos nós nos devemos arrepiar...

Que bom que se revelem estas situações, soube que a reportagem teve um grande impacto no público. Que bom que assim seja, que não só as vítimas, como também possíveis vítimas e as pessoas em geral, sejam alertadas.

Estas situações têm de ser reveladas, denunciadas e publicitadas.

Se todos conseguirmos contribuir, um pouco que seja para a mudança...quem sabe...

Parabéns aos repórteres, Céu Neves e Rodrigo Cabrita
Um grande BEM HAJA

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Angola no seu melhor...sim...não é só Portugal no seu melhor...











É o que se pode arranjar...

segunda-feira - Recados Para Orkut

Confira mais figuras para Segunda-Feira:
[red]***[/red]http://www.recados.net/orkut/15/1/Segunda.html[red]***[/red]

sábado, 15 de novembro de 2008

Desejo a todos...

E porque gosto muito de ursinhos...iiinnnhooooos...ursos, só de alguns...outros nem vê-los...até fujo para bem longe...fim de semana - Recados Para Orkut

Confira mais figuras para Fim de Semana:
[red]***[/red]http://www.recados.net/orkut/21/1/Fim-de-Semana.html[red]***[/red]

O País em que vivemos...(continuação)

Eheheheh...eu até gosto de sentir que me dão importância...
Como disse no post anterior, ontem à noite ligaram do DÉLES, para saber se o MEO, estava a funcionar. Disseram que me ligariam novamente na terça-feira, para saber se continuava a funcionar.
Acabaram de ligar novamente. O tal...que agendou tudo comigo e que estava doente, não ligou ontem, porque esteve de cama, mas agora está francamente melhor e, durante a semana vai ligando para saber se tudo se mantém estável. Claro que, desejei-lhe a continuação das melhoras e um bom fim semana...a tal coisa do sorriso...sim porque a nossa voz, também sorri...não são só os nossos lábios...é mais ou menos como aquela frase "ter um sorriso na voz"...
Acho bem. ACHO MUITO BEM....Sou franca, nem tanto ao mar...nem tanto à terra. Será que agora me vão ligar todas as semanas, daqui para a frente...???!!!...
Mas fica-lhes bem...pena é que, a tampa nos tenha de saltar, nós tenhamos que nos stressar, irritar, zangar, gritar, ficar sem sorriso na voz...para que as pessoas entendam certas coisas.

Porque ando pleonástica...tomem lá um...vários pleonasmos...

Não esqueçam de ir à TEDDY'S PLAY LIST dizer ao teddy que faça uma pausa...senão, não ouvem nada...
Estas coisas EU TENHO DE PARTILHAR...façam-me o grande favor de rir que nem uns malucos...
Fernando Pessoa escreveu: "O melhor do mundo, são as crianças"...sem dúvida...
Mas eu escreveria: "O melhor do mundo, é SORRIR E RIR A BANDEIRAS DESPREGADAS"...rir faz-me sentir bem comigo, com os outros, com a vida, com o mundo...ADORO RIR...FAZER RIR...VER OS OUTROS A RIR...E SORRIR também...VAMOS NESSA..QUE É BOA À BEÇA...
Aliás...dependendo das circunstâncias e, mandando com o sorriso certo no momento, eu consigo o que quero...fazem-me tudo...prestam-se a tudo, melhor que isso, correspondem com um sorriso ou gargalhada...se estou a falar com pessoas no seu perfeito juízo...se são pessoas com pancas...não há sorriso que valha...mas isso, são outros quinhentos, como diz o brasileiro...já agora, aproveito para dizer que ontem telefonaram do DÉLES (para quem leu o post acerca do País em que vivemos)...para saberem se tudo estava bem...terça-feira, vão telefonar para SABER SE TUDO CONTINUA BEM...
Disseram-me, recentemente...que não faziam ideia, nem pela cabeça lhes passava que eu tivesse problemas...e quem não os tem...porque eu estou sempre bem disposta e a sorrir, espera aí que eu vou chorar over the split milk, trabalhos me dessem...lembrei aquela máxima, SORRI...SORRI SEMPRE...MESMO QUE O TEU SORRISO SEJA TRISTE. PORQUE MAIS TRISTE QUE O TEU SORRISO TRISTE...É A TRISTEZA DE NÃO SABER SORRIR...assim sendo, espero no mínimo, CONSEGUIR PÔR UM SORRISO NOS VOSSOS LÁBIOS...
video

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Call Center

Nos dias em que estou de call center, não faço mais nada a não ser estar ao telefone...hoje é um desses dias...e eu pergunto-me, porque será...???...Que quando estou de call center...estou ao telefone...???...Neste momento estou na minha hora de almoço, por isso pude fazer algo diverso...


O País em que vivemos...(continuação)

Resposta da Provedoria dos CTT recebida:

Exma. Senhora,

Foram solicitadas aos Serviços, de acordo com o princípio do contraditório e como indispensável diligência liminar, as averiguações que o realatado na sua carta requer.

Melhores cumprimentos
O Provedor dos CTT


Quanto ao DÉLES...já foram lá a casa hoje...

Afinal não havia problema algum...estava tudo bem com a TV do quarto, bem como com os aparelhos...



Mas pronto, já foram e esperemos que seja MEO por uns tempos...
O que aconteceu, não sei explicar tecnicamente, nem o técnico já que, para ele estava tudo bem...


quinta-feira, 13 de novembro de 2008

ULTIMAcTO VENCE CONCURSO NACIONAL DE TEATRO

O ULTIMAcTO – Grupo de Teatro de Cem Soldos, ficou em primeiro lugar no Concurso Nacional de Teatro – TEATRÁLIA – promovido pela FUNDAÇÃO INATEL. O evento decorreu na Aula Magna, em Lisboa, no Sábado, dia 8 de Novembro e contou com a participação de 15 grupos de Teatro representantes dos vários distritos do país que concorreram (ou que foram apurados na fase das eliminatórias regionais) a este evento. O ULTIMAcTO, em representação do distrito de Santarém, participou com a peça “A Bengala”, uma adaptação de um texto de Prista Monteiro, e que muito agradou ao Júri composto pelas actrizes Ângela Pinto, Maria Emília Correia e pelo jornalista/escritor Fernando Dacosta. Depois de no ano passado ter conseguido o quarto lugar com a peça “Médico à Força” de Molière, o ULTIMAcTO subiu agora ao palco para receber o primeiro prémio. O Concurso Nacional de Teatro – TEATRÁLIA, consta do projecto ENCONTRÃO 2008, que reúne em simultâneo as finais dos Concursos Nacionais INATEL nas disciplinas de Teatro, Música e Etnografia e que integram os vencedores das eliminatórias regionais realizadas em todos os distritos do continente e nas regiões autónomas. É um dos mais relevantes encontros de cultura popular organizados em Portugal e junta, durante dois dias na Aula Magna, em Lisboa, cerca de mil e trezentos participantes de cinquenta grupos provenientes de todo o país. O ULTIMAcTO, bem como os vencedores dos dois outros concursos (Música e Etnografia), apresentarão os seus trabalhos no Projecto FESTINATEL a realizar no próximo dia 1 de Dezembro de 2008 no Teatro da Trindade em Lisboa.

“A BENGALA”
“Tudo pago... rendas, alugueres, prestações, impostos”. E se chegarmos a velhos sem termos feito tudo o que queríamos? E se chegarmos a velhos sem nunca ter arriscado à troca de um desejo? E se pisarmos o risco demasiadas vezes? E se lá chegarmos sem cumprir o nosso dever?
E se...? E se...?
É assim a vida! Feita de opções que se têm de tomar a todo o momento. Feita de riscos que corremos, uns calculados outros não. Mas, se pensarmos muito... o mais provável é não os correr. E será que os devemos correr? E será que não os devemos correr? Podemos arriscar e darmo-nos bem, ficando com a sensação de vitória (in) esperada. Podemos arriscar e darmo-nos mal, ficando com a sensação de derrota, arrependimento, frustração.
Será que devemos correr riscos?
Será que devemos planear tudo ao pormenor?
Será que devemos agir sempre da mesma maneira?
Será que...?
Será...?
Ou não será?

“A Bengala” é uma adaptação de um texto de Prista Monteiro e retrata a vida de dois irmãos sem posses que, num determinado dia, depois de terem pago todas as suas dívidas do mês e ter restado algum dinheiro, resolvem ir a uma esplanada onde normalmente só vão os ricos. Fazem as suas extravagâncias e, no meio daquilo a que chamaram “uma noite à grande”, começam a questionar a sua atitude. Divididos entre ‘aproveitar o momento’ e ‘evitar quaisquer riscos’ os personagens deixam no ar esta dúvida, ficando a cargo de cada espectador tirar a sua própria ilação. Esta peça tem como protagonistas António Clemente, António Craveiro e Luís Tomás. Já anteriormente premiada como a melhor encenação no Festival de Teatro em Póvoa do Lanhoso, “A Bengala” é um espectáculo que já participou em vários Festivais e Mostras de Teatro por todo o país.

Hélder Prista Monteiro – 1922/1994
Médico português, nascido em 1922, em Lisboa, e falecido a 1 de Novembro de 1994, consagrou a sua carreira literária ao teatro. Normalmente inserida no teatro do absurdo, sob a influência de Ionesco, Pinter, Beckett, a obra de Prista Monteiro releva essencialmente de um implícito apelo à transformação social e das relações humanas, mostrando frequentemente como um simples objecto (uma bengala, um colete de xadrez, uma caixa de esmolas, uma chávena), desejado, ostentado ou perdido, pode ser a pedra-de-toque para pôr em causa o artificial equilíbrio social, lançando as personagens num processo de degradação que culminará numa trágica derrocada.

Luis Tomás - ULTIMAcTO – Grupo de Teatro de Cem Soldos
contacto 934 239 878

ULTIMAcTO - Grupo de Teatro de Cem Soldos
Contacto: 249 345 232 - SPORT CLUB OPERÁRIO DE CEM SOLDOS
Largo de São Pedro 58 A/B
Cem Soldos - Tomar
clubcemsoldos@mail.telepac.pt

Responsável do ULTIMAcTO - António Clemente
Contacto: 966 547 394
tozeclemente@hotmail.com

Os actores

Os actores e familiares de Prista Monteiro presentes na Aula Magna

terça-feira, 11 de novembro de 2008

O País em que vivemos...

Eu sei que vão ficar cansados de lêr...mas pronto...cansem-se à vontade porque não estão bem a vêr aqui a JE a viver a coisa...eu já ultrapassei o estado de cansaço para passar para o estado de "saltou-me a tampa"...
Então é assim...
Há cinco meses atrás, eu fui residir para um sitiozinho assim, tipo a terra do Juca Chaves...que só tinha uma rua com um sentido... e um carro...um dia o carro foi e...não voltou mais...
Vivo dos meus parcos recursos e sempre gostei muito de honrar os meus compromissos atempadamente.
Eis senão quando o carteiro, que ainda não me foi apresentado nem eu a ele....devolve toda a minha correspondência com a menção de "desconhecido"...acho que devíamos de ter sido apresentados mesmo, assim eu já não seria desconhecida.
Escusado será dizer que ninguém me escreve para saber de mim, mas as contitas para pagar existem. Não sei onde, mas existem.
A primeira factura da EDP, foi parar ao receptáculo do vizinho das traseiras. Não recebi mais nenhuma a não ser a deste mês que foi parar ao receptáculo da vizinha do lado.
O contrato da EDP, que foi celebrado telefónicamente no dia 27 de Maio, andou de Anás para Caifás até à semana passada e claro, foi parar ao receptáculo da vizinha do lado.
A TMN cancelou o meu serviço de factura detalhada porque o correio ía todo devolvido.
Os Serviços Municipalizados, toca de enviar avisos de corte de água a torto e a direito e eu vai de pagar o que vinha, só este mês já paguei três contas de fornecimento de água.
Conservatórias e Tribunais, tudo a telefonar para mim porque o correio ía devolvido.
Atenção que, no dia 9 de Setembro, quando comecei a perceber a embrulhada, reclamei telefonicamente para os CTT. Foi quando as cartas começaram a ser colocadas na caixa de correio da vizinha do lado...




Vai de escrever cartas registadas com AR para tudo quanto é gente a solicitar que me enviassem os envelopes com o carimbo de "devolvido" e a menção de "desconhecido" para anexar como meio de prova à reclamação que já enviei, por carta registada com AR para a provedoria dos CTT.
Mas como se não bastasse, eu como não via TV porque não via...enfim...acabei por decidir requerer a instalação do MEO.
Ficou agendada para dia 27 de Outubro mas, o colega iria entrar em contacto comigo para dizer a que horas ía. Eu expliquei que trabalho em Lisboa, longe do local de residência, que iria deixar a chave com uma pessoa que iria abrir a porta.
Contactaram vocês comigo...assim contactou o "colega", mas como a pessoa estava lá à porta, a coisa resolveu-se.
Bonitinho, cheguei a casa ENA!!! Maravilha...dia 27 foi quando...???...AH! uma segunda-feira, dia 31 eu deixei de ter TV no quarto...
Vai de telefonar para o MEO...liguei três ou quatro vezes...desliga daqui, liga dali,vai à sala...vai ao quarto...cú pró ar daqui e cú pró ar dali...nem MEO...nem TEO...nem SEO...nem NOSSO...nem o raio que os partissem a todos...
Conlusão: O aparelho que está ligado na tomada do quarto é receptor, enquanto que o da sala é emissor, vai daí o receptor avariou...é preciso substituir...
Muito bem, vai de anotar no sistema informático a reclamação...atenção que continuo sem MEO, sem TEO, sem Seo...e ontem nem na sala, onde está o emissor havia TV...ÉLES se foram de vez...
Dizia eu, que ficou a reclamação...isto na segunda-feira dia 3 de Novembro...-"AH! D. TL"...eheheh...gostaram do nome???..."estes serviços são céleres, em breve será contactada por um colega meu para agendar o dia em que vai a sua casa..." - "Acho bem, já que eu não estou em casa, trabalho em Lisboa....blá...blá...blá...
Quinta-feira dia 6, telefona-me um baril qualquer do MEO (DÉLES), ficou então agendado para sexta-feira dia 7 ou segunda-feira dia 10 entre as 14:00 e as 20:00..."Olhe que eu trablho em Lisboa...blá...blá...blá..."
Sexta-feira...cadê ÉLES...telefonei...- "AH! O meu colega já esteve em sua casa e a senhora não estava..."...



Ainda consegui ter paciência, ah...porque eu, na quinta-feira à noite, dia 6, liguei para o DÉLES a dar o telefone da pessoa que tinha a chave, para que, caso houvesse algum desencontro a contactassem....
A tampa ainda conseguiu manter-se no lugar...repeti tudo de novo...blá blá blá...
Ontem, liguei para o DÉLES por volta das 17:30...pois não tinham ainda ido...
"-AH!...os meus colegas já lá estiveram...a senhora não estava em casa..."



AGORA A TAMPA SALTOU!!!!!!?????......
"-AH!, nós só temos aqui o seu nome e o seu n.º de telefone, não o da D. AL..."
"-Pois! Mas os seus colegas nem para o meu ligaram, porque se tivessem ligado eu tinha informado a D.AL e ela ía abrir a porta...!!!!"
Enfim...eu disse tudo como os malucos...
À noite, ontem por volta das 22:00, liga-me um delicodoce do DÉLES...sim que MEO é que ainda não é, de certeza...
Levou com tudo com'ós malucos...pediu-me imensa desculpa, vão resolver a coisa o mais breve possível...EU QUE JÁ ESTAVA A BATER MAL!!!....Vai de ir buscar um resumo dos acontecimentos destes 5 meses e terminei dizendo....VEJA LÁ SE TAMBÉM VOU TER DE ESCREVER UMA CARTA REGISTADA COM AR PARA O MEO...!!!!????....
"Não será necessário D. TL...iremos resolver o seu problema o mais rápido que pudermos, a esta hora o meu colega já não vai aí..."
AH! NÃO VEM NÃO...ERA O QUE MAIS ME FALTAVA!!!!!....
São agora 10:00, acerca de 10 minutos....ligou o MEO...o que tinha ligado no dia 6 a agendar a coisa para 7 ou 10...
Esteve doente e ainda está...aliás nota-se que está com uma ganda carrispana em cima...desfez-se em desculpas...vai acompanhar pessoalmente todo o processo...
AH! Porque houve ali uma altura, ontem à noite...que eu...disse..."Ouça...eu não tenho a mania que sou Dra., mas eu sou jurista e no meu trabalho se eu fôr incompetente, despedem-me...todo o trabalho é para ser feito com responsabilidade, competência, zelo e diligência...nem que seja varrer a rua...SÓ TEM É QUE FICAR BEM VARRIDA!!!...
Eu senti que indivíduo engoliu em seco...ficou ali uns segundos calado...e mais razão me deu...
Agora eu disse...-"Olhe, se faz favor, telefone para a D. AL, que está aí como contacto preferencial e combine com ela..." porque ele estava a falar-me em quinta feira e ontem a AL disse-me que quinta não ía estar lá...
"Portanto, veja como pode ser porque eu acho que quinta a D.AL não vai estar...E EU TAMBÉM NÃO VOU ESTAR...!!!...Como aliás desde o início tenho vindo a informar...
"Sim, senhora D. TL, entrarei então em contacto com a D. AL e verei com ela qual o melhor dia e a melhor hora...e esteja descansada, direi ao meu colega que se dirija...blá...blá...bláa, que telefone...e EU PRÓPRIO ACOMPANHAREI O MEU COLEGA TELEFONICAMENTE..."

AGORA DIGAM-ME VOCÊS QUE JÁ DEVEM ESTAR FARTOS DESTA HISTÓRIA...não mais que eu com toda a certeza...

MAS ISTO VAI A ALGUM LADO ALGUM DIA?????!!!!!!!....

ENTÃO MAS ESTES MELGAS, ANDAM A GASTAR DINHEIRO PARA CÁ E PARA LÁ...INJUSTIFICADAMENTE...?????!!!!!

BEM....THERE'S NO MORE COMMENTS...

In the meantime....eu venho cá contar as cenas dos próximos episódios....

Ainda falta a resposta da Provedoria dos CTT, eu pedi que me respondessem e aconselhei-os a instaurarem um processo disciplinar ao personagem e a despedirem-no com justa causa...

E agora....esta do MEO

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

sábado, 8 de novembro de 2008

Os putos...

video
Façam pausa no ursinho para que as músicas e letras não se sobreponham...

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

As iludências aparudem...

Num comentário ao post "Médicos...são todos iguais!!!!" no blog da mjf, escreveu a by myself : "Quis o destino que viesse parar a um blog de mais um ser humano verdadeiro, ou seja: que gosta de animais. Parabéns por isso".
Os meus parabéns também à mjf...mas por incrível e paradoxal que possa parecer...eu convivi com duas coisas que não sei como classificar...que não maltratam, pelo menos nunca assisti, os animais...bem pelo contrário, e maltratam física, psicológica e verbalmente os humanos. Pelo menos as mulheres.
Como classificar este tipo de espécie de humanos...???...!!!...
São falsos, enganam, parece que não fazem mal a uma mosca...e longe dos olhares e ouvidos alheios são as maiores bestas que Deus Nosso Senhor ao mundo deitou...e vão ser sempre assim...levaram uma mãe e esposa ao suicídio e quase que levaram outra...que teve a sorte de conseguir ser forte, sair do covil e denunciar os crimes cometidos...
Isto É GRAVE!!!...MUITO GRAVE!!!...E andam bestas destas à solta...!!!...A fazê-las pela surra...!!!...Sabendo bem que cometem crimes...
A justiça dos homens vai ser feita...a de Deus também será concerteza...
Conclusão: AS APARÊNCIAS MUITAS VEZES ILUDEM E DE QUE MANEIRA!!!

Segunda-feira

Definitivamente, na segunda-feira passada eu sentia-me bem melhor que nesta...
Eu queria voltar para o fim de semana....it's an injustice...yes, it is...tal Calimero...

Não é normal...

ENGANO NOS REMÉDIOS MATA SETE MIL POR ANO

Por engano dos médicos, das farmácias ou dos enfermeiros, há doentes a morrer nos hospitais com medicação errada. Situação poderia ser melhorada.

Global, segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

É preciso ter lata...Ah! E tal e coiso...isto até podia não ser tão mau assim...

Títulos que impressionam...

SÃO MUITOS OS MORTOS QUE NINGUÉM CHORA

Todos os anos, muitas pessoas são enterradas sem que se saiba quem eram. Em 2007, os corpos por reclamar foram 67, este ano já são 55. Sem-abrigo, toxicodependentes e imigrantes são a maioria na triste estatística.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Deambulando e divagando...

Deambulava eu pelo blog do afectado , entrei na rubrica “desafio”…alguns foram que aceitaram…falaram de si, do que sentem com o antes o durante e o depois, sendo que se referiam a relações afectivas involuntariamente terminadas…passadas…mesmo que, a iniciativa de as terminar tenha partido de nós próprios…
Li sobre o “luto”, (entenda-se…nas relações e não o luto, este sim, sem ser entre aspas, pela perda de um ente querido que nos deixa uma saudade eterna e que, também pode manifestar-se de diversas formas, exteriores, interiores ou ambas) tema este abordado pela Allie, onde li sobre relações, li sobre ser feliz ou infeliz nesta ou naquela idade…
Enquanto lia eu, pensava e não pensava…porque eu ultimamente não penso…não me apetece pensar…apetece-me ir vivendo e, conforme o que for vivendo, assim será o que vou sentindo…e, o que vou pensando...
O “luto”, ao fim e ao cabo, não é mais, digo eu, do que isto mesmo…a forma como passamos a viver após uma experiência que não foi boa…ou que foi boa e acabou…ou que, teve as suas coisas boas e as suas coisas más…
O “luto” é a nossa forma de reagir a uma experiência passada e que deixa marcas de nostalgia…frustração…raiva…dor…sentimentos estes que se misturam com alguma alegria e momentos de felicidade…
Mas não é nada que se impõe…que tenha de ser…
Deambulava eu, um destes dias, pelo blog da mjf , onde se versava sobre a experiência…sobre os erros que se cometem ou não…após a experiência…ou que já não se cometem mais…ou que, mesmo já tendo passado por elas…vamos nós e damos com os burros na areia novamente…
No meu comentário a esse post, acrescentei que, a experiência também permite que o grau de importância em relação a determinadas coisas…diminua.
Ou seja, “luto” e “experiência”…andam de mãos dadas…com ou sem luto e com ou sem experiência…se tiver de ser…aí vamos nós dar com os burros na areia…
Ao desafio lançado pelo…afectado aderiu também a M. que escreveu sobre curtir a dor…e que “seja em que idade for, não há nada mais desagradável que ouvir os mais velhos diminuírem os nossos sentimentos…”
De facto, não é agradável…mas tb só o fazem, os mais velhos que gostam de nós…presumo ser mais velha pois, presentemente, entendo perfeitamente o que os mais velhos me queriam transmitir quando “diminuíam” os meus sentimentos…
E lá vou eu juntar tudo…”luto”…”experiência”…”curtir a dor”…sermos mais novos ou mais velhos…
O resultado é que, tendo em linha de conta a nossa idade, assim as nossas experiências de vida serão mais ou menos, o que fará com que a gente sofra mais ou menos perante determinadas circunstâncias e se sinta mais ou menos feliz perante outras…quanto ao “luto”…esse, também existirá de acordo com o momento em que “enlutarmos”…assim sendo, será mais ou menos intenso…mais ou menos duradouro…
E, mesmo assim…há que ter em linha de conta que, ninguém tem experiências iguais a seja quem for e que, por muito semelhantes que possam ser com as de alguém…cada um reage a elas de forma diferente. E, consequentemente…interioriza-as de forma diferente…
Cada experiência é única, mesmo qd são as nossas…quanto mais sendo dos outros.
Há quem seja obrigado a crescer cedo…há quem cresça sem grandes sobressaltos ao longo da sua vida…há quem nunca cresça…
Conheço eternos(as) ingénuos(as)…fico parva!!!...Mas são mesmo…pelo menos naquela questão…noutras se calhar são bem mais vividos que eu e aí, a ingénua sou eu…e quem fica parvo são os outros…

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Histórias do meu mundo

TEXTO DE CLARA PINTO CORREIA

No outro dia liga-me (via kolmi,evidentemente) o meu filho mais velho, com dezasseis
anos, que foi de fim de semana alargado com uns amigos para Madrid. A conversa não fazia grande sentido para mim, mas para ele de certeza que fazia, dada a enorme decalage que existe hoje entre o português e a gramática usados pelos pais e o português e a gramática usados pelos filhos.
- Mãe, o Multibanco que tu me deste não está bom.
- Não está bom como? Tem funcionado perfeitamente desde que saíste de Lisboa.
- Pois, mas agora estou aqui em Madrid, tenho fome, quero comer, preciso de apanhar a camioneta para Lisboa, e ele não está bom. O bonequinho diz que ele não está bom.
- Ó meu grande inconsciente, e tu por acaso não gastaste já todo o dinheiro que eu pus na tua conta?
-Não, mãe. Juro por Deus.
- Deixa lá Deus descansado.
Não pode ser essa caixa de multibanco que está fora de serviço?
-Ó mãe, mas eu já fui esta manhã a bué caixas, já tentei bué cenas, mas isto deixou de funcionar, tens que ver o que é.
- Então e não podes pedir dinheiro emprestado a um dos teus colegas para umas bolachas e um bilhete de camioneta e a gente cá faz contas e eu, entretanto, tranquilamente, vejo o que se passa?
- Oh mãe, eles já estão os dois sem dinheiro. Só eu é que ainda tinha.
Conseguem convencer-nos de tudo, os nossos filhos.
Eu, que tinha planeado ficar calmamente em casa a trabalhar com as janelas todas abertas para fazerem uma saudável corrente de ar, lá me atravessei pelo
meio do calor da tarde para ir à minha agência.
Com tanto azar, nem o gerente nem o meu gerente de conta lá estavam.
Àquela hora, estava só mesmo um rapazinho estagiário colocado ali durante o Verão. Mas adiante, bolas, que o meu filho precisa de comer e de apanhar a camioneta.
O jovem estagiário faz-me um grande sorriso e eu lá lhe expliquei a situação misteriosa do cartão que de repente deixou de funcionar em Espanha.
O jovem pede-me o nome do miúdo e o número da conta dele, e depois começa a fazer clics com o rato. Às tantas, depois de inspeccionar atentamente uma página
de dados, faz um sorriso daqueles mesmo muito malandros.
Minha senhora, diz ele, o seu filho não está em Madrid. Está em Portimão.
O quê? Mas ele telefonou-me de Madrid ainda há cerca de meia hora!
E como é que a senhora sabe que foi mesmo de Madrid que ele telefonou?
Então, pois se fui o que ele me disse...
E o estagiário,como se fosse ele que tivesse lições para me dar a mim:
Mas a senhora não pode ser assim tão crédula com filhos adolescentes de dezasseis anos. Olhe bem para isto.
Vira o monitor na minha direcção e aponta para o final de umadas colunas com a ponta da lapiseira.
Está a ver estas quatro entradas? São todas de hoje de manhã, e, de facto, a última foi há cerca de uma hora. Quatro multibancos diferentes de onde ele tentou levantar dinheiro, todos em Portimão. Ontem, olhe aqui. Jantou neste restaurante chamado Superpeixe e pagou uma conta que parece claramente de duas pessoas. Isto confirma-se se formos à compra imediatamente anterior, às 19 do mesmo dia, um biquíni brasileiro da loja Poucaroupa. Aliás, bastaria olharmos para as dormidas:
duas noites na pensão Oásis, quarto duplo, cama de casal. Ah, e repare no bilhete de camioneta que ele comprou na sexta-feira: está aqui claramente indicado
que é de ida e volta. E oiça, minha senhora, não se passa nada de errado com o multibanco dele. O rapaz apenas já gastou todo o dinheiro que a senhora lá pôs para ele. Mas tem um bilhete para voltar hoje ao fim da tarde. Se lhe veio com essa conversa,
provavelmente é porque ainda quer comprar mais uma prenda de luxo para a namorada antes de se vir embora.
Qual namorada? .
Então, minha senhora? Cama de casal numa pensão, biquinis brasileiros,jantarinhos para dois... é evidente que o seu menino foi visitar uma namorada a Portimão e
lhe contou uma história sobre ir com dois amigosa Madrid!
Bom. Claro que o meu rapaz ouviu ali pela medida grande. Mas a mim, francamente,o que me incomoda não são estas patetices de manual que os rapazes fazem. O que realmente me incomoda é pensar que, hoje em dia, até um estagiário de um banco, com pouquíssima informação à partida, pode em dez minutos saber precisamente onde estamos, onde estivemos, o que é que fizemos,tirar ilações e fazer juizos de valor.
É o lado escuro do admirável mundo novo electrónico, em que todos tendemos a não pensar, mas com o qual todos perdemos completamente a privacidade.

A fé dos papagaios...

Desesperada, uma senhora procura um padre e diz-lhe:
- Sr. padre, tenho um problema. Eu tenho duas papagaias que só sabem dizer uma coisa…
Perguntou-lhe o padre:
- Mas…o que é que elas dizem?
A senhora, muito envergonhada, respondeu:
- Olá, nós somos putas…
Querem dar uma queca?
- Que horror!!!...Observou o padre.
- Tem razão, disse a senhora, mas deram-mas, eram do dono de um bordel…já não sei o que hei-de fazer…
- Parece-me que tenho a solução para o seu problema, disse o padre. Traga as suas papagaias para minha casa e eu ponho-as ao pé dos meus dois papagaios, pois ensinei-os a orar…Nunca vi dois papagaios tão crentes!...Calcule que passam o dia a rezar!
No dia seguinte, a senhora levou as papagaias para casa do padre.
Assim que as puseram na gaiola disseram logo:
- Olá, nós somos putas. Querem dar uma queca?
Ao ouvir isto, um dos papagaios olhou para o outro e disse-lhe:
- Deita fora o terço!...As nossas preces foram ouvidas!...



No circo...

Num circo é apresentado o domador.
Apresenta-se no palco um homem com um crocodilo.
Depois de agradecer os aplausos, o homem pega num pau, dá uma cacetada na cabeça do crocodilo e este abre a boca.
O homem desaperta a braguilha, ajoelha-se e coloca o pénis na boca do crocodilo.
Começam a rufar os tambores e o público faz silêncio total.
O homem pega novamente no pau e dá segunda cacetada na cabeça do crocodilo.
Este começa fechar a boca lentamente.
- Uaaahhh!!! - Ouve-se a assistência.
O crocodilo quando está quase a fechar a boca totalmente, pás!!!
Na assistência o silêncio é geral. Apenas se ouve o rufar dos tambores.
O homem dá uma terceira cacetada na cabeça do crocodilo e este abre totalmente a boca.
O público explode em aplausos e a orquestra começa a tocar.
O homem põe-se de pé aperta a braguilha e num tom desafiador pergunta à assistência:
- Alguém é capaz de fazer isto?
Responde uma loira no meio da assistência:
- Eu faço!! Só não gosto que me batam na cabeça!



quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Com muito orgulho...

Sinto um orgulho enorme na
minha melhor amiga.

Não me cabe uma palha no c***...

Palavras para quê...trata-se da MINHA MELHOR AMIGA...

PARABÉNS BELEUZE!!!!...Para ti e para o teu blog. E só tens de estar vaidosa, inchada, orgulhosa de ti própria. São estas pequenas grandes coisas que nos compensam e aconchegam o ego.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Outra...

Confusão no velório

Eram dois pescadores gémeos.
Um casado e o outro solteiro.
O solteiro tinha uma lancha de pesca já velha.
Um dia, a mulher do casado morre.
E como uma desgraça nunca vem só, a lancha do irmão solteiro afunda-se no mesmo dia.

Uma senhora, dessas velhotas curiosas e fofoqueiras, soube da morte da mulher e resolve dar os pêsames ao viúvo, mas confunde os irmãos e acaba por se dirigir ao irmão que perdeu a lancha.
- Eu só soube agora. Que perda enorme. Deve ser terrível para si.
O solteiro, sem entender bem, explicou:
- Pois é. Eu estou arrasado. Mas é preciso ser forte e enfrentar a realidade. De qualquer modo, ela já estava muito velha. Tinha a parte de trás toda arrebentada, deitava um cheiro horrível a peixe e vazava água como nunca vi. Tinha uma grande racha na frente e um buraco atrás que, cada vez que eu usava, ficava maior. Mas eu acho que o que ela não aguentou foi que eu a emprestava a quatro amigos que se divertiam com ela. Eu sempre lhes disse para eles irem com calma, mas desta vez foram os quatro juntos e isso foi demais para ela...
A velhinha fofoqueira desmaiou!



Esta tenho de partilhar...

Joãozinho no seu melhor...

A professora divide a turma em dois grupos e decide fazer um jogo com perguntas.
O primeiro grupo a chegar aos 6 ganha um chocolate.
Para que Joãozinho não lhe "encha" a paciência, ela coloca-o no grupo dos mais inteligentes. Assim nem tem tempo para dar aquelas respostas idiotas.
Vendo isso, ele diz para o outro grupo:
- Nós vamos arrasar-vos, cambada de idiotas!!!!!!
Começa o jogo...
- Quem descobriu a América?
O grupo de Joãozinho responde de imediato:
- CRISTÓVÃO COLOMBO !
E o Joãozinho grita a seguir:
- Eu não disse? Bando de orelhudos. 1 a 0 !!!
A Professora repreende-o:
- Está calado Joãozinho!!!
Segunda pergunta:
- Que idioma se fala em Espanha?
O grupo de Joãozinho responde:
- ESPANHOL !!!!
E Joãozinho grita de novo a seguir:
- Viram só? Seus atrasados, 2 a 0 !!
A Professora repreende-o:
- Cala-te Joãozinhooo!!!
Terceira pergunta.
- Como chegou Cristóvão Colombo à América?
O grupo de Joãozinho responde:
- DE CARAVELA.
Joãozinho, cheio de emoção, logo de seguida:
- Eu bem que avisei seus sacos de m*rda, 3 a 0!!!
A professora, irritada, grita:
- Joãozinho!!! LEVANTA E SAI FORA!!!
Joãozinho responde de imediato:
- O PÉNIS "stôra"! Que show! 4 a 0 seus bananas!!!
A professora indignada volta a gritar:
- Joãozinho, SAI E NÃO VOLTA MAIS!!!!!
Joãozinho feliz da vida responde ainda mais rápido:
- A M*RDA, A M*RDA, professora ! Hahaha, f*d*ram-se!... 5 a 0!!!
A professora, não aguentando mais, grita:
- Joãozinho, SAI E SÓ VOLTA DENTRO DE UM MÊS!!!
Joãozinho, excitadíssimo, responde aos saltos :
-A MENSTRUAÇÃO!! ! P*TA QUE OS PARIU, 6 a 0! ... GANHAAAAAMOOOOSSS!!!


sexta-feira, 10 de outubro de 2008


sexta-feira - Recados Para Orkut

Confira mais figuras para Sexta-Feira:
[red]***[/red]http://www.recados.net/orkut/84/1/Sexta-Feira.html[red]***[/red]

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Porque a Flôr se ausentou...

Então é assim. A Flôr sempre foi muito assutadiça. Só em casa e, sem ninguém "estranho ao serviço", é que ela estava bem. Eu residia num 3.º andar e fui residir para uma casa térrea...o menino Rafael, o gato, sempre que apanhava uma janela aberta ía laurear a pevide. Naquele dia a Flôr resolveu fazer-lhe companhia e foram para um quintal pegado com a minha casa. Quando percebi que eles não estavam, comecei a chamar e ouvi miar. O caraças do quintal, tem um muro muito alto para o lado de dentro. Entraram...mas sair...está de chuva...vai daí, aqui a je, às 23:00 andava a saltar para o quintal do vizinho. Fui buscar o escadote, coloquei do lado de fora para me empoleirar no muro...meti o escadote do lado de dentro e lá fui eu...a primeira a tirar de lá, foi a Flôr. Coloquei a Flôr no chão e ela, em vez de entrar em casa, não sei para onde foi...até ao dia 30 de Setembro. Eu não pensei, devia ter tirado o Rafael primeiro e depois tirava a Flôr e levava-a ao colo para casa...mas quem é que pensa, ou adivinha. De facto, o Rafa, não tem nada a vêr. Quando eu saio com as meninas, ele vem também, dá a mesma volta e regressa connosco. Acho que a Flôr se assustou com qualquer coisa e perdeu o Norte.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Eu agora...







Levei bué de dentadinhas e beijinhos a noite toda...eu dei beijinhos e festinhas e miminhos...



A Flôr...

Neste preciso momento, tenho a Flôr ao meu colo...como nos "velhos tempos"...
Foi uma noite de troca de mimo...se ela já era mimada...agora, além de mimada está carente, né...???...Acordei a ouvi-la na cozinha a fazer os ruídos que há tanto não ouvia...uns ginchinhos que são tudo menos miar. Sim, porque ontem à noite, na rua, foi a única vez que a ouvi miar.
Anda esganada de fome...o pelo está mais curto, fartou-se de se lavar, em breve deve ficar linda de novo.
Apercebi-me que está realmente mais magrinha, sentem-se os ossinhos...
Trazia pulgas, já se sabe, já pus o remédio. E hoje, quando chegar a casa, desparasito a malta toda...
Enfim...vamos lá a vêr se lhe serviu de emenda...
E dizem que os gatos não conhecem os donos...à pois não...isto só filmado...abraça-se a mim e agarra-me com as unhas, como quem diz: - Não te quero perder de novo.
Faz tudo como dantes, até na casa de banho eu...


e ela...tunga no meu colo...
Há realmente dias felizes...ontem foi feliz para nós as duas...nem dei largas ao que sentia, não vá o diabo tecê-las...